Algumas curiosidades sobre perfumes

A perfumaria é uma arte invisível – visível apenas nos lindos frascos, que preservam criações de alquimia sempre especiais.

A palavra perfume (derivada do latim per, “por” e fumare, “através de fumo”) faz alusão ao fumo aromático que a madeira libertava quando era queimada.

O ritual de queimar madeiras aromáticas para agradar as divindades vem da Idade da Pedra.

A distinção entre “Eau de Cologne”, “Eau de Toilette” e “Eau de Parfum” é o percentagem de concentração de essências na sua composição, o que marca tanto a sua duração como a sua densidade.

Num EDC seria entre 2% e 4%, EDT 5%-15% e EDP 15%-20%.

Sabia que o uso de perfumes está mencionado em diferentes partes da Bíblia?

Uma amostra são a mirra e o incenso que os Reis Magos concederam ao bebé que nasceu em Belém, ou o óleo perfumado de nardo puro que derramaram na cabeça e nos pés de Jesus de Nazaré durante um jantar na casa do Simão.

Na pele do ser humano existem diferentes tipos de acidez, chamado o nível de pH.

A mínima variação destes níveis nas pessoas, é adequada para que os ingredientes de uma fragrância se liguem de forma diferente em cada pele.

Deste modo, um mesmo perfume pode ser projetado de forma diferente segundo quem o use.

Aquando da Idade Média, as Cruzadas trouxeram do Oriente as matérias-primas e as primeiras técnicas de perfumaria à Península Ibérica.

O sentido do olfato está associado com o sistema límbico (encarregado de regular as respostas fisiológicas frente a determinados estímulos), é por isso que há odores que nos trazem lembranças e emoções.

No Renascimento os perfumistas de todo o mundo instalam-se em Paris, transformando as luvas perfumadas no complemento de moda em França e noutros países europeus.

As peles secas fazem com que as fragrâncias aguentem menos tempo, à medida que nas peles oleosas os aromas durarão mais tempo.

Habitualmente, as peles brancas costumam ser mais secas que as morenas.

Algumas curiosidades sobre perfumes 2

Nas festas de palácio da corte de Luís XV, as pombas eram mergulhas em perfumes, sendo depois soltas para que distribuíssem aromas diferentes.

Naquela época a higiene corporal era escassa, por essa razão, apesar da elegância dos seus trajes, o luxo e a extravagância que reinava, camuflavam o mau odor usando até um perfume por dia.

Em conformidade com alguns estudos psicológicos recentes, as pessoas que usam perfume muitas vezes têm um melhor conceito de si próprias e são mais sociáveis que as que não usam ou apenas o fazem ocasionalmente.

Se procura informação mais detalhada confira no site miisterCBD.com/pt/

O perfume deve ser aplicado a mais ou menos 20 cm da área onde você quer aplicar para que o álcool evapore e os óleos essenciais permaneçam.

Não existe um ingrediente mágico que é adicionado ao perfume para que ele dure mais.

Efetivamente, o que determina a duração da fragrância é a combinação da quantidade da essência e do estilo olfativo do perfume.

Os cítricos leves, como exemplo, duram menos do que os amadeirados marcantes.

Perfumes frescos e leves, como os cítricos, florais frescos e lavandas, evaporam mais rapidamente, logo devem ser reaplicados ao longo do dia.

Voltar a aplicar o perfume faz parte do ritual de frescura, algumas borrifadas ao longo do dia vão fazer toda a diferença.

4.6 / 5. Votos: 19

Partilhar este artigo
Publicado por João Silva
Acredito que cada fragrância assim como a sua escolha é única e pessoal e que cada aroma faz marcar vários acontecimentos no dia-a-dia, deixando sempre lembranças e momentos inesquecíveis.
Copyright Blog Perfumes. Reprodução permitida desde que indicando o endereço:
https://www.blog-perfumes.pt/noticias-perfumes/algumas-curiosidades-sobre-perfumes/
Todas as fotos e videos exibidas neste blog são de propriedade exclusiva das respectivas marcas.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *